Ansiedade ou ataque de pânico em locais públicos: é agorafobia?

Agorafobia é o medo de lugares onde seria difícil encontrar ajuda e segurança se algo acontecesse, e não o medo do lugar como tal.

Entre as fobias mais comuns, a agorafobia é um distúrbio de ansiedade frequentemente relacionado ao ataque de ansiedade. Embora afete menos de uma em cada 50 pessoas, geralmente é subtratada enquanto existem soluções.

O medo de lugares públicos em geral

Muitas vezes equivocadamente considerada o medo da multidão, a agorafobia é acima de tudo o medo de frequentar espaços dos quais não se pode escapar ou ser facilmente resgatada. O agorafobe teme ter que se encontrar em um lugar onde ele estará em dificuldade. É o medo de não poder ser resgatado ou ajudado em um local mais do que no próprio local. Na mesma pessoa, lugares fobogênicos são frequentemente múltiplos.
Com a evolução da doença fóbica, "comportamentos de esquiva" aparecem e o agorafóbico apresenta dificuldades cada vez mais importantes para freqüentar locais fechados, como metrô, transporte público, shopping centers, cinema, o avião ou o elevador.

Uma ansiedade descontrolada

Agorafobia e "ataques de pânico", também conhecidos como "ataques de ansiedade", estão intimamente ligados. O agorafóbico sente o medo de ter um ataque de pânico. A ansiedade aparece quando você se sente preso, sufocado ou ameaçado em um local ocupado. Às vezes, mesmo antes, quando a pessoa imagina apenas pegar um trem ou um avião, por exemplo.
Tremores, dificuldades respiratórias, sudorese, taquicardia ou vertigem invadem o agorafóbico, que pensa em apenas uma coisa: escapar. Esse medo se torna cada vez mais importante e cria uma verdadeira desvantagem na vida cotidiana.

Terapia comportamental para ajudar a agorafobia

Como todos os outros transtornos de ansiedade, a agorafobia é tratada por psicoterapia com base em exercícios imaginativos de situações angustiantes, e depois em uma situação concreta. Este tipo de terapia comportamental é um sucesso em 80% dos casos!
Um estilo de vida saudável, uma dieta equilibrada, um sono regular, o despejo de café, álcool ou substâncias estimulantes também contribuem para a redução dos ataques de ansiedade e pânico. Somente um atendimento abrangente a longo prazo pode se sentir livre novamente e aliviar seu sofrimento.