Leite contaminado ainda à venda na Leclerc, fábrica Lactalis Craon repetidamente infectada, falhas em todos os níveis

O grupo Leclerc vendeu caixas de leite contaminado com Lactalis, mesmo que devessem ter sido removidas. Um leite recomendado para substituição também foi contaminado. A fábrica de Lactalis em Craon foi contaminada várias vezes com a mesma cepa de salmonelas.

A oitava recuperação no caso de leite infantil contaminado produzido pela Lactalis. Na sexta-feira passada, uma mãe encontrou nas prateleiras de um supermercado Leclerc, uma caixa de leite contaminado. Embora esses produtos devam ter sido recuperados em dezembro passado.
Outra mãe comprou leite, recomendado pela Lactalis depois dos lotes contaminados, exceto que o filho ficou doente porque esse leite também estava contaminado.
Além disso, soube-se que a planta de Lactalis em Craon estava contaminada com a mesma cepa de Salmonella que causou a contaminação de 2005. Chance ou ressurgimento da cepa após o trabalho realizado em fevereiro de 2017 É isso que a investigação determinará.

Mais caixas de leite contaminado nas prateleiras

Setecentos e oitenta e duas pessoas compraram leite contaminado na Leclerc após dezembro de 2017, pois 984 caixas não foram removidas das prateleiras. Todos os clientes teriam sido resgatados por meio de sua conta de fidelidade ou do banco, de acordo com o CEO do grupo, Michel-Edouard Leclerc.
Ele explica nas colunas de Parisien: "Os dados que nos chegam nos lotes incriminados são listados por códigos de barras. Isso requer um rastreamento meticuloso na loja. ... (por ocasião da correria do final do ano), houve uma saturação excessiva de informações, um problema de classificação e interpretação ". O empresário garantiu que suportaria as consequências desse fracasso.

O leite de substituição também contaminou

No norte, uma mulher também comprou leite contaminado, exceto que não era um dos lotes retirados. Ela testemunhou na RTL esta semana.
Ela havia escolhido esse leite porque Lactalis recomendou a substituição do leite contaminado. Mas a cepa de Salmonella que a contamina é a mesma para os dois produtos.

Uma planta contaminada com repetição

A fábrica de Craon já havia tido um problema de contaminação em 2005, de acordo com nossos colegas, sabendo que, na época, era propriedade de outra empresa. De acordo com o Institut Pasteur que conduziu as análises, todos eles parecem indicar que a cepa de Salmonella agona responsável pelo episódio de 2017 deriva da de 2005. Dois proprietários diferentes para a mesma cepa. É discutida a hipótese de um ressurgimento da tensão durante o trabalho realizado em fevereiro de 2017. Mas parece plausível para muitos especialistas.
Trinta e uma crianças foram infectadas após a ingestão de leite Lactalis. Dezenas de pais planejam apresentar queixas individualmente nas próximas semanas por não assistência à pessoa em perigo, por bebês que não estiveram doentes e por pôr em risco a vida de outras pessoas e ferimentos não intencionais, para aqueles que foram hospitalizados.

Avarias em todos os níveis que exigem uma revisão dos procedimentos de controle nos usos na produção e distribuição de fórmulas para bebês.