Um único gene determinaria o risco de desenvolver a doença de Crohn

Os pesquisadores conseguiram identificar um único gene que pode aumentar ou diminuir o risco de desenvolver a doença de Crohn. Esse mesmo gene também pode estar envolvido na doença de Parkinson.

A doença de Crohn é uma doença inflamatória crônica e grave. Afeta principalmente o intestino delgado e o intestino grosso no ânus. Isto é devido a uma resposta auto-imune que leva a inflamação excessiva e dolorosa no revestimento do intestino. O tecido ao redor do sistema digestivo torna-se espesso e pode até levar a ulcerações e fístulas que podem levar à remoção das partes do intestino que causam o problema.
Os pesquisadores analisaram os genomas de 5.700 judeus Ashkenazi - doentes e não-doentes - para ver se eles poderiam obter algo mais sobre a genética subjacente à doença.
Eles descobriram que diferentes mutações no mesmo gene podem aumentar ou diminuir o risco de desenvolver a doença de Crohn.

O gene LRRK2 em questão

Acontece que se uma pessoa tem a variante "errada" do gene LRRK2, seu risco de doença é de 70%, em comparação com 25% para aqueles que tiveram a variante "boa". Acontece que esse gene desempenha um papel na eliminação de resíduos acumulados em um tipo de glóbulo branco chamado macrófago, bem como em algumas células-tronco encontradas no intestino delgado. Este estudo foi publicado na Science Translational Research.

Os pesquisadores suspeitam que esse resíduo danifique as células e cause inflamação. Além disso, esse mesmo gene também tem sido associado ao Parkinson, o que significa que qualquer tratamento pode ajudar as duas doenças.