Ensinar a atenção plena dos adolescentes pode melhorar seu desempenho acadêmico

Focar o momento presente pode melhorar os resultados acadêmicos e reduzir o estresse. Diante desse achado validado por dois estudos, os pesquisadores sugerem integrar essa prática nos programas.

Dois novos estudos do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) sugerem que a atenção plena - ou seja, a concentração no presente - pode melhorar os resultados acadêmicos e a saúde mental dos adolescentes.

"Por definição, atenção plena é a capacidade de se concentrar no momento presente e não se distrair com elementos externos ou pensamentos internos", diz John Gabrieli, professor de ciências cognitivas e autor do estudo. no professor à sua frente ou na lição de casa à sua frente, é uma boa maneira de aprender. "

Menos atividade da amígdala

Os pesquisadores mostraram pela primeira vez que o treinamento da atenção plena pode ter um impacto na atividade cerebral dos adolescentes. Os resultados do primeiro estudo foram publicados na revista Neurociência Comportamental.

Neste estudo, os alunos da 6ª série que receberam treinamento em atenção plena foram inicialmente menos estressados, mas suas varreduras cerebrais também revelaram menos atividade da amígdala, uma região do cérebro que gerencia emoções como o medo.

No segundo estudo, cujos resultados foram publicados na revista Mente, cérebro e educação, os pesquisadores tentaram avaliar a ligação entre atenção plena e resultados acadêmicos. Os adolescentes com maior probabilidade de serem conscientes também tiveram melhores notas e menos ausências do que outros.

Atenção no currículo escolar

Os pesquisadores sugerem que esses aprendizados atentos sejam parte integrante do programa para adolescentes. "O interessante da atenção plena é que já existem maneiras bem estabelecidas de ensiná-la", diz Gabrieli.

"A atenção é como ir à academia", continua Gabrieli, "vá por um mês, tudo bem, mas se você parar de ir, os efeitos não durarão".